logo Troca linha TROCA - Plataforma por um comércio international justo

A cobertura mediática do “episódio EDP-arbitragem”

A cobertura mediática do “episódio EDP-arbitragem”

A cobertura mediática do “episódio EDP-arbitragem”

Quando os membros da Plataforma TROCA souberam da notícia de que os accionistas da EDP anunciaram a sua intenção de recorrer aos mecanismos de arbitragem para curto-circuitar os tribunais portugueses, a expectativa era a de que o assunto não tivesse eco nos meios de comunicação social em geral. Os temas associados ao comércio internacional raramente são abordados e a própria multa de 285 milhões que deu origem a esta decisão não tinha sido noticiada, o que reflectia, por parte dos corpos editoriais, a convicção de que não tinha relevância jornalística suficiente.

No entanto, ao contrário destas expectativas, o “episódio EDP-arbitragem” teve bastante cobertura (exemplos aqui, aqui, aqui, aqui e aqui) por parte dos meios de comunicação nacionais, o que a Plataforma TROCA naturalmente saúda desde já.

Destacamos positivamente o jornal Tornado e o projecto indyMedia, pela oportunidade que deram à TROCA de contextualizar devidamente as questões associadas aos mecanismos ISDS (Investor-state dispute settlement), que se encontram no cerne deste acontecimento.

Este artigo foi publicado no Jornal Tornado, um jornal online que chega aos 5 continentes e que publica, com isenção e rigor, temas relevantes para os cidadãos e o planeta, que a maioria dos outros jornais não publica. O mesmo jornal publicou também o cartoon de Letícia Carmo sobre o assunto.

Este artigo foi publicado no IndyMedia, um projecto que resulta de uma rede mundial com o propósito de criar um Centro de Meios de Comunicação Independente, originalmente para cobrir os protestos contra a OMC.

Infelizmente, não se pode dizer que a cobertura noutros meios de comunicação se tenha destacado pela clareza e pelo rigor. A exposição do episódio foi feita de forma confusa, com falta de contextualização e, nalguns casos, com algumas incorrecções factuais. É, no entanto, muito positivo que, ao contrário das nossas expectativas, este tema tenha tido alguma projecção mediática, pois demonstra a ameaça que os mecanismos ISDS representam para as populações.