logo Troca linha TROCA - Plataforma por um comércio internacional justo

Loris Wallach, 17/Set/2014, Common Dreams

Loris Wallach, 17/Set/2014, Common Dreams

Loris Wallach, 17/Set/2014, Common Dreams

Os números mais recentes indicam que as exportações americanas para países abrangidos por tratados Free-Trade têm vindo a cair, ao contrário do comércio com países terceiros que tem aumentado.Um bom exemplo é o caso da Coreia do Sul, país com o qual os EUA têm um déficit de 50%, apesar do tratado Free-Trade com esse país. Nos dois últimos anos, as exportações americanas para a Coreia caíram 5%.

Os resultados anémicos dos tratados Free-Trade têm um significativo impacto no Congresso onde cresce o cepticismo sobre a insistência de Obama quanto ao Tast-Track. Os observadores são unânimes em considerar ser impossível atingir o objectivo estipulado pelo Presidente em 2010 de duplicar as exportações. Ao ritmo actual de 1%, tal nunca poderia ser atingido antes de 2054.
O saldo dos anteriores tratados Free-Trade tem resultado em perdas. Na última década, o comércio entre os EUA e países terceiros cresceu 30% a mais do que o comércio com países abrangidos por esses tratados.
O déficit comercial americano indica a perda de 50.000 empregos nos dois anos a seguir à implementação do tratado com a Coreia, enquanto as importações coreanas para os EUA subiram 8% ($4,7 biliões/ano). Em face desde fracasso, o US Trade Representative Office tem avançado com números enganosos, considerando exportações americanas os produtos estrangeiros importados para os EUA e depois reexportados.

Segundo Loris Wallach, em vez de Obama se esforçar em criar mais do mesmo, deveria era buscar soluções diferentes se quer evitar a oposição crescente do Congresso.