logo Troca linha TROCA - Plataforma por um comércio international justo

Ministro alemão: Não haverá TTIP este ano; os americanos rejeitam tudo

Ministro alemão: Não haverá TTIP este ano; os americanos rejeitam tudo

Ministro alemão: Não haverá TTIP este ano; os americanos rejeitam tudo

O ministro alemão da economia, Sigmar Gabriel, tornou a lançar dúvidas sobre a conclusão do TTIP este ano, acusando os EUA de rejeitarem todas as exigências europeias e, em vez disso, se voltarem mais para o CETA.

“Estamos, neste momento, a negociar um tratado de livre-comércio com os EUA, mas não parece poder estar concluído este ano – como gostaria a sra. Merkel – pois todas as exigências europeias são rejeitadas pelo lado americano”, afirmou Gabriel numa reunião camarária em Gelsenkirchen, na Alemanha a 15 de Agosto.

“O Canadá pretende um acordo de livre-comércio connosco, o qual é bastante diferente do que querem os americanos. A melhor protecção contra um mau acordo com os americanos é um bom acordo com o Canadá, uma vez que a EU nunca poderá ameaçar os padrões que acordou no CETA”.

A 13 de Agosto, numa entrevista à German Funke Mediengruppe também afirmou não ver hipóteses de o TTIP ser concluído, dado andar-se a marcar passo em assuntos importantes:
“Após muitas rondas negociais, ainda nem sequer dispomos de textos consolidados em assuntos importantes. Não vejo qualquer probabilidade em materializar o desejo de Merkel ainda este ano”.

Nesta entrevista, Gabriel reiterou o desejo de abandonar as negociações se não conduzirem a um bom acordo, mas recusou opor-se aos tratados em conjunto:
“Um não-acordo é sempre melhor que um mau acordo, mas não posso afastar-me baseado na posição de que podemos passar sem acordos comerciais. Temos de escolher entre participar na escrita das regras do comércio internacional ou então obedecer às regras escritas por outros”.

Como exemplo de maus tratados (LOUSY), Gabriel citou os negociados pelos EUA com os países asiáticos e afirmou querer um bom acordo, mas não a qualquer preço.

A respeito do CETA, Gabriel esclareceu que o presidente da Comissão para o Comércio internacional (INTA) do PE, Bernard Lange e que é também membro do SPD, elaborou uma lista dos aspectos que permitem o apoio do partido relativamente a acordos internacionais:
“… Honestamente, acho que devemos pensar se nos queremos opor ao CETA e assim deixar a porta aberta a maus acordos como o dos EUA ou outros piores como os entre os EUA e a Ásia, aos quais termos de nos adaptar”.

Estas declarações de Gabriel vêm na sequência da publicação de um documento interno do seu ministério por parte da Inside US Trade.org, na semana passada, que lança muitas dúvidas sobre as perspectivas do tratado, afirmando que a UE e os EUA ainda não acordaram em nenhum dos 27-30 capítulos do TTIP….

Nesse texto diz-se haver poucas hipóteses de o TTIP vir a melhorar o acesso aos mercados de contratação pública (nos EUA), sugerindo-se que o ministério da economia entende ser pouco provável que as negociações resultem em algo de proveitoso a respeito de uma das prioridades europeias. Também parece que a CE desistiu de exigir aos EUA que incluam o acesso à contratação pública ao nível dos estados, via TTIP.

Segundo uma sondagem da emissora ZDF, 17% dos alemães apoia o tratado em 2016, contra 55% EM 2014. Gabriel culpou o sentimento europeu anti-tratados como radicando na decisão da CE de negociar em segredo: “Eles são responsáveis pelo facto de a atmosfera em que estamos a negociar ser tão tóxica, e isso torna tudo muito mais difícil… Estamos a tentar fazer o que temos de fazer em política – que é educar- mas sublinho que não devemos colocar o TTIP e o CETA na mesma categoria, pois tal não seria justo para os canadianos. Acho que estamos no bom caminho com o Canadá. Mas com os americanos, acho que será muito, muito difícil e até eventualmente impossível chegar a acordo”.

Nota:
Este texto vem na sequência de notícias que revelam haver no SPD uma grande contestação interna ao TTIP. Nomeadamente, várias secções regionais do partido, incluindo a juventude social-democrata já rejeitaram publicamente o tratado. Um membro destacado do Die Linke declarou mesmo que nenhum social democrata poderia subscrever o TTIP.


Melinda St. Louis, 19/0872016
https://insidetrade.com/daily-news/german-minitry-sees-slim-chance-improvement-ttip-procurement-market-access
Tradução e adaptação de Manuel Fernandes