logo Troca linha TROCA - Plataforma por um comércio internacional justo

O estado dos negócios

O estado dos negócios

O estado dos negócios

Apesar de todas as tensões com os EUA, a União Europeia não perde o sentido do negócio. Com o intuito de amainar as relações comerciais transatlânticas, abaladas pelas medidas norte-americanas contra as importações da UE e os ataques à ordem comercial global, o novo comissário europeu para o comércio, Phil Hogan, planeia visitar Washington já próxima semana.

Na agenda para as conversações com o representante norte-americano para o comércio, Robert Lighthizer, Hogan leva a ameaça americana de impor tarifas aduaneiras a bens franceses no valor de 2,4 mil milhões de dólares, em retaliação ao imposto francês sobre as gigantes tecnológicas – em especial a Google, Apple e Amazon, cujas manobras de evasão fiscal são vastamente conhecidas.

O abandono dos acordos internacionais que visam combater as mudanças climáticas, o controle das armas nucleares na Europa e o programa de energia atómica do Irão são algumas das causas mais gerais das tensões transatlânticas; já no âmbito do comércio, os pontos centrais do conflito da UE com os EUA vão muito além de possíveis tarifas de retaliação americanas vinculadas ao imposto digital da França, a saber:

  • O impasse no órgão de recurso da OMC causado pelo bloqueio dos EUA à nomeação de novos membros;
  • As tarifas dos EUA sobre uma gama de produtos europeus, na sequência da decisão da OMC relativa ao apoio estatal ilegal à Airbus (estando a decorrer idêntico processo em relação à Boeing);
  • As tarifas dos EUA sobre o aço e alumínio europeus, com base em controversos motivos de segurança nacional e
  • A repetida ameaça dos EUA de impor taxas aduaneiras aos automóveis europeus.

Ora, o ponto número um para os americanos é a inclusão dos produtos agrícolas no âmbito das conversações sobre a redução dos direitos aduaneiros sobre bens industriais.

Sabendo do “poder de persuasão” da administração Trump e da capacidade da Comissão de vergar os padrões europeus ao interesse superior do grande negócio, bem podemos começar a tremer por mais um ataque a uma tão almejada agricultura europeia mais sustentável.


Por
https://aventar.eu/2020/01/10/o-estado-dos-negocios/