logo Troca linha TROCA - Plataforma por um Comércio Internacional Justo

Opinião pública portuguesa opõe-se ao acordo UE-Mercosul

Opinião pública portuguesa opõe-se ao acordo UE-Mercosul

Opinião pública portuguesa opõe-se ao acordo UE-Mercosul

Resultados de um recente inquérito em 12 países europeus apresentam uma mensagem clara para os líderes políticos europeus: não ratifiquem o acordo comercial entre a UE e o Mercosul enquanto a desflorestação da Amazónia não cessar.

O inquérito da YouGov mostra que uma média de 75% dos inquiridos nos 12 países europeus concorda que os seus governos devem interromper imediatamente o processo de ratificação, pelo menos até que cesse a desflorestação da Amazónia, mesmo que isso viesse a prejudicar as exportações para os países sul-americanos. Apenas 12% dos inquiridos afirmou querer ratificar o acordo apesar da desflorestação em curso.

Portugal destaca-se como o país onde é maior a proporção de inquiridos que deseja interromper o acordo. 85% dos portugueses mostrou concordância com a ideia de que o processo de ratificação deve cessar enquanto não parar a desflorestação da Amazónia.

O inquérito demonstra que esta posição é maioritária em todos os países estudados e entre todas as ideologias políticas, embora os eleitores conservadores mostrem ligeiramente menos concordância do que os restantes.

O estudo foi financiado pela Rainforest Foundation Norway e foi realizado na Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Noruega, Portugal, Reino Unido e Suécia. Foram realizadas 12073 entrevistas a maiores de 18, entre o período de 12 a 21 de Janeiro deste ano.

grau concordancia UE-Mercosul Desflorestação